Expect a Path - Capítulo 3

Não preciso da seu amor, nem de sua pena ou seu carinho, apenas me dê meu dinheiro

Vic POV'S

Era horário de almoço, 14:30 PM, e eu conseguiria buscar Andrew cedo na escola, o que era raridade, quase sempre eu chegava atrasada, mesmo não gostando de deixar ele com outra pessoa, todo dia era preciso, eu sai do serviço as 16:00 PM, era horário de almoço, depois eu voltada, fechava tudo e iria para casa, e eu não poderia pagar um creche de meio horário para ficar com Andrew por uma hora, por isso ele ficava com David todos os dias. Saltei do carro e faltava 10 minutos para bater o sinal da saída e eu estava orgulhosa de mim por pegar ele cedo, quase sempre ele almoça na escola e eu faço o mesmo, saio, almoço, vou buscá-lo e leva-lo para David, mas hoje almoçaria-mos juntos coisa que quase nunca acontecia, eu estava parada olhando para o portão simplesmente feliz por fazer algo que Andrew tenha me pedido quando ouço uma voz atrás de mim. E eu reconheceria aquela voz a milhares de distância.
                      - Victoria? - Meu coração gelou e mesmo sem um espelho sei que fiquei branca na hora que me virei e vi aquele rosto. Eram tantos flashes que viam na minha cabeça, eram tantas emoções, era ele, ali na minha frente, mesmo a milhares de quilômetros de Detroid ele estava ali.
                     - O que você está fazendo aqui? - Disse fria sem encara-lo.
                    - Não sabia que Fort Wayne pertencia a senhorita agora. - Jason disse com um sorriso de lado, eu conhecia bem aquele sorriso.
                    - Me deixe em paz, vá embora Jason. - Me virei, preocupada com que Andrew chegasse e Jason o visse.
                    -  Calminha Vic, nós vamos se topar muito por aqui, melhor ser gentil comigo, vou ser praticamente seu vizinho. - Dava para ver em seu rosto o prazer de dizer aquilo, ele não tinha mudado nada.
                    - O que... o que isso quer dizer? Você sabe onde... onde... eu... eu moro? - Eu só conseguia pensar em Andrew, viagem tantos quilômetros para isso?
                    - Por que tão nervosa bae? - Jason fez uma pausa desconfiado. - Detroid afundou, eu e os caras vamos fazer de Fort Wayne nosso novo lar.
As palavras começaram a me tontear, eu precisava sair de Fort Wayne com Andrew não poderia suportar de ver Andrew crescendo em uma cidade com Jason, em uma cidade parecida com Detroid.
                        - Mamãe!! Eu sabia que a você vai vim cedo, eu falei pras tias todas mamãe! Olha o desenho que eu fiz. - A voz de Andrew ao meu lado me trouxe de volta a realidade, eu olhei para Jason e ele parecia não acreditar e rapidamente peguei Andrew no colo.
                       - É lindo amor, vamos para o carro pra mamãe ver direitinho. - Fui em direção ao carro, desviando dos olhares de Jason, eu pensei que estaria livre mas ele segurou meu braço quando pus Jason na cadeirinha, fechei a porta do carro e me virei para ele.
                     - É meu filho? - Jason perguntou sem tirar os olhos dele.
                     - Não, é meu filho! Olha Jason eu não vou pedir para você ir embora de Fort Wayne porque eu sei que vai ser uma guerra perdida, mas escuta bem o que eu vou dizer - Botei as mãos em seu peito o afastando do carro e ele olhou para mim, ainda sem reação. - Enquanto, eu e meu filho, estivermos em Fort Wayne, fique longe da gente, você me ouviu? Nós iremos embora, mas enquanto estivermos nessa cidade, fique... longe.

Dei a volta no carro sem esperar uma resposta de Jason, e entrei no banco de motorista, me virei para trás e pus os cintos em Andrew, e acelerei o carro até um service-self mais perto.
                     - Mãe, quem era aquela moço?
                     - Só um pai de um amiguinho querendo informação meu amor. - Tentei parecer calma, mas naquele momento, de todas emoções que eu estava sentindo, a única que não existia mesmo, era a calma.

Expect a Path - Capítulo 2

A vida nem sempre foi tão bela!

Resultado de imagem para gif pregnant

Vic POV'S

Eu não via Jason desde aquele maldito dia, e com os meses parei de pensar nele, eu tinha o Andrew e era tudo o que importava. Eu não tinha ninguém, havia largado tudo quando conheci Jason, escola, amigos e família e quando fui chutada por ele, não foi diferente, eu ainda não tinha ninguém além do David, fiquei no seu apartamento por dois anos, até ele começar a namorar e sabe, não era bom pra ele ter uma mulher com um filho na sua casa, mesmo que ele não falasse e negasse quando eu tocava no assunto eu sentia que ali não era o meu lugar. Em toda a gestação e um ano da vida de Andrew eu trabalhei , trabalhei mais do que gostaria, eu tinha dois empregos um pela tarde e o outro a madrugada, lembro-me de todas as vezes que eu chorei por saudades do Andrew mas eu precisava, eu sabia polpar o dinheiro, comprava o que é era necessário para Andrew e David sempre me ajudou, e se eu contar que meu salario quase todo ia para escola, roupas, fraudas, comida e lazer de Andrew vocês não acreditariam, pode parecer burrice gastar tanto com um filho pequeno, sendo que eu precisava me estabilizar, mas eu não queria que Andrew sofresse ou não tivesse o que desejava, eu não queria ter o posto no mundo para isso, ele merecia o melhor, e eu faria de tudo para dar. No começo doía olhar para ele e ver a cara de Jason mas a dor passou a ser felicidade, felicidade ao ver aquele rostinho todo dia. Pattie me procurou incansáveis vezes na casa de David, e queria conhecer seu neto e me ajudar, eu não pude recusar queria ir para longe de Detroid, longe de tudo que eu sofri lá, o mais longe possível de Jason e ela me ajudou com isso, me deu uma casa, claro que não aceitei assim, e eu a pago todo mês 900 dólares, a casa que eu tenho hoje foi basicamente um empréstimo dela, e apesar dela ter me ajudado, eu não a deixava ter contato com Andrew, não queria que surgissem dúvidas na cabeça dele, sobre quem ela é, ou cadê o pai dele, claro que essas dúvidas agora existem, "mãe quem é meu pai", mas eu ainda consigo conciliar, até agora tenho conseguido.

Father's Day

Pela primeira vez, havia levantado primeiro que Andrew, quase todos os dias ele vinha me acordar, por um instante me vi preocupada mas tudo passou quando eu o vi dormindo como um anjinho.
Desci as escadas e comecei a fazer o café, era segunda, e eu tinha que trabalhar, eu trabalhava em uma empresa de viagens, planeja tudo para a pessoa segundo suas necessidades, era um bom emprego e eu conseguia me virar bem. Fiz o café e me sentei na mesa para comer, o relógio marcava 6:18 AM, e eu precisaria me apressar se não logo estaria atrasada, subi levando café para Andrew e o acordei, o deixei comendo e fui me arrumar, tomei um banho rápido e vesti uma roupa adequada, mesmo que eu não saísse muito do meu guiche o gerente exigia, unhas pintadas, maquiagem suave e um boa roupa, e eu tinha que segui as normas, acabei de me arrumar e vi que estava levemente atrasada eram 7:12 AM, corri para o quarto e botei Andrew no banho, e pus uma roupa para ele ir a escola, as escolas públicas eram ótimas, mas era um sonho conseguir por Andrew em uma escola particular, e eu estava lutando para isso. Assim que acabamos, fechei a casa e o pus na cadeirinha do carro, fui o mais rápido que pude e o levei para escola.

                    - Tchau mamãe, não chega atrasava. - Andrew disse enquanto eu o tirava da cadeirinha.
                   - Pode deixar meu amor, mamãe vira o mais rápido que puder. - Me despedi dele com um beijo na bochecha e o levando até um portão.

Seria um longo dia...


Sei que ninguém está aqui mas eu quero um final para essa história, não vai ser revisada, não ira ter palavras bonitas e as vezes nem seguira as normas do português, finalmente estou escrevendo por mim e não pelo o que vcs gostariam de ler, me desculpem.

testando rsrs so nice

Stalker


Stalkers não são nada mais nada menos que perseguidores obsessivos, basta um olhar ou uma conversa para uma pessoa se tornar um perseguidor, e os perseguidores estão entre nós, são que menos esperamos ou não, eles conhecem nossa rotina, nossas manias, como algum amigo íntimo ou alguém da família, eles entram nas nossas vida sem nenhuma autorização e se acham no controle dela, mas todos nós somos perseguidores de algumas coisa desde um objeto a uma pessoa.

Justin Bieber é um perseguidor, jovem nascido em berço de ouro, quem diria que o rei da faculdade seria perseguidor de uma simples universitária, Brooke Gomez ou como ele prefere chama-lá, Olke, Brooke nunca imaginou que se sentiria vigiada a todo momento e ela estava.

01.Recovery - I am a child


Faith P.O.V
Adentrei minha casa e vi Justin arrancar com seu carro observei da janela de minha sala Sr. Scott observando minha casa, sai da janela e fui para o meu quarto, tomei banho e resolvi ir na sorveteria fui ao closet pegar uma roupa escolhi uma blusa preta da Jack Daniels, um short preto com o cinto preto, e um vans preto prendi meu cabelo em um rabo de cavalo decidi não passar maquiagem e estava pronta, desci as escadas em direção a mesinha de centro de minha sala pegando meu celular e colocando em meu bolso e pegando o dinheiro na minha carteira e colocando no bolso do meu short, peguei a chave de minha casa sai da mesma e tranquei a porta decidi que não iria de carro pois era só a três quarteirões de minha casa então fui andando mesmo.Chegando na sorveteria pedi um sorvete de três bolas de morango, creme e flocos e peguei  a cobertura de morango e esparramei bem eu amo morango.
-Também gosto bastante de morango-dei um pulo ao ouvir essa voz sem contar que havia tomado um susto e tanto, ouvi ela a manha inteira
-Olá Sr.Scott-disse me virando e vendo o sorrir, sorri falsamente, francamente esse cra me assustava
-Só Scott porfavor, quer se sentar comigo-disse sugestivo
-A claro se não for muito incomodo-mesmo eu não querendo me sentar com esse sujeito tenho a boa educação que meu pai e minha mãe me deram 
Nos sentamos e ele começou a puxar assunto, logo recebi uma mensagem do Justin 
"você viu o mundo que esta caindo la fora?" justin
"agora que vi, estava concentrada comendo meu sorvete" faith
"vai na sorveteria e nem convida, bom saber." justin
"e adivinha quem esta sentado na minha frente" faith
" eu to falando que esse cara é um psicopata disfarçado ninguém acredita" justin
"haha agora estou preocupada como eu vou para a minha casa? ele definitivamente vai querer me levar" faith
"estou chegando ai daqui cinco minutos" justin
"sério não precisa eu pego um táxi sei la" faith
"pra que táxi se você me tem? eu te busco sim você esta na Bob's Sorveteria" justin
"sim, como sabia?" faith
"desde que cheguei em seattle sempre vou nela e ela é a mais perto da sua casa" justin 
"tudo bem, ele não para de puxar assunto comigo" faith
"já já chego ai" justin
Não respondi pois não tinha necessidade, Scott tentava várias vezes discretamente ver minha conversa com Justin e eu sempre dava um jeito de o mesmo não ver, ele puxava conversas sobre várias coisas até sobre coisas que eu nem sabia do que se tratava, quando eu terminei o meu sorvete percebi que Scott também havia terminado fui para o caixa e antes que ele falasse que iria pagar para mim eu paguei, fui para saída e percebi que ele me acompanhara, sai da sorveteria e fiquei de baixo da parte coberta.
-Se você quiser eu posso te levar-ele disse com um sorriso de orelha a orelha
-Não precisa Justin vem me buscar e olha ele lá, tchau professor até mais-disse e sai correndo em direção ao carro de Justin abri a porta do mesmo e entrei- oi muito obrigada por ter vindo eu acho que se você não tivesse vindo eu já estava em um cativeiro do Sr.Scott-disse rindo e o olhando
-Não há de que bela donzela-disse e logo me acompanhou rindo-onde será que o cativeiro dele se localiza pode ser debaixo de sua casa em seu porão-disse rindo
-Ta chega, pra onde vamos?-perguntei parando a risada
-Vamos buscar meu filho-disse ligando o carro
Sim eu sabia que Justin tinha um filho e que esse filho tinha três anos e que sua mulher havia morrido no parto, ele havia me mostrado uma foto em seu instagram de seu filho com ele eles estavam fofos na foto  ele era loirinho igual ao pai, quando ele crescer vai ser muito cobiçado pelas mulheres.Chegamos e logo saímos do carro em direção a sala na onde seu filho estudava, estávamos na porta da sala Justin bateu na mesma e logo uma mulher com um decote gigante eu me perguntava como ela ensina as crianças com isso, isso não é traje não isso é um pano cobrindo seus seios, olhei para ela incrédula e depois para Justin que riu de mim e pegou em minha mão, antes a professora olhara para Justin com um sorriso malicioso agora olhava minha mão com a dele entrelaçadas com sorriso em seu rosto desfeito ela logo trouxe Jaxon-que era o filho do Justin-até nós e saímos da creche em direção ao carro, e fomos em direção a casa de Justin, Jaxon não me conhecia mas quando entramos no carro ele fez um interrogatório sobre mim, ele podia ter três anos mas já sabia de muita coisa e era muito esperto, no final eu e ele já brincávamos eu parecia mais criança que ele mas eu não me importava, eu sempre amei crianças e nunca neguei afinal sou uma.

Prólogo.Recovery


Faith P.O.V
Estava no corredor com meu material em mãos, até um idiota passar correndo trombando em mim  e derrubar  meu material
-Nossa amigo isso daqui não é maratona não-disse gritando para o idiota que trombou em mim me agachei para pegar até ver que tinha um cara me ajudando , ele tinha olhos cor de mel e um topete loiro escuro, assim que pegamos minhas coisas do chão o olhei –Obrigada é..
-Bieber, Justin Bieber, não tem de que e você?-disse sorrindo e que sorriso
- Faith Parker, agora tenho que ir para minha sala-sorri torto
-Qual é o numero dela?-ele me perguntou um tanto quanto curioso
-É a 14
-Parece que fazemos direito juntos-rimos-vamos la então
Sabe faculdade não há nada de diferente de colégio tem os mesmo grupinhos fúteis  as mesmas vacas de lideres de torcidas,os cornos dos jogadores de basquete e futebol americano, os fodões, as piri-guetes, os reservados e pessoas normais tipo eu  e pelo que percebi  Justin também, sabe na faculdade também é seis horas de aula igual ao colégio –pelo menos na minha faculdade é assim-e sempre tem o mesmo pé no saco de professor.
Entrei na sala e pude ver que o professor não era tão asqueroso quanto eu pensava na verdade ele não era nem um pouco ele era um muso nada comparado a Justin pois Justin dá de dez a zero nele mas ele tinha pinta de ter uns vinte e cinco anos, cada um sentou em seu devido lugar Justin sentou-se atrás de mim e ficamos prestando atenção até os primeiros quinze minutos depois já estava tão longe do mundo real que nem vi que o horário do almoço havia tocado-na verdade do café da manha-
-Faith tocou o horário –disse alguem me cutucando logo que voltei a realidade pude ver Justin me cutucando e o professor muso nos olhando
-A sim vamos-disse indo em direção a porta percebi olhares do professor até eu sair completamente da sala
-Quem ele pensa que é para ficar te olhando assim-disse Justin exaltado me fazendo rir
Olhar não arranca pedaço-disse rindo
-Mas previne olho roxo-disse isso e eu gargalhei-sabe nunca me senti tão amigo em pouco tempo de uma pessoa assim-disse me olhando 
-Também não fico feliz que você seja essa pessoa-disse me sentando em baixo de uma arvore do jardim logo Justin também sentou-se ao meu lado
-Olha parece que arranjou um amigo gostoso Faith-disse Rebecah o olhando e mordendo os lábios e logo eu e Justin direcionamos o olhar a puta na nossa frente logo Justin me olhou com cara de nojo me fazendo soltar uma leve risada
-Sinceramente, se meu amigo gostasse de putas ele iria em um puteiro então por favor de meia volta e some da minha vida-disse séria
-Queridinha você não é nada dele por acaso-disse ela com voz de puta
-Como tem tanta certeza?-agora foi a vez de Justin se pronunciar logo após dito isso me beijou, seu beijo era bom e viciante nunca havia  experimentando um beijo tão bom quanto esse, nós percebemos que ele tinha ido embora e nos separamos-Obrigada-ele disse sorrindo
-Não há de que-logo eu e ele vimos nosso professor Sr. Scott nos olhando da janela de sua sala que no caso dava para ver o jardim aonde nos encontrávamos ele logo viu que nós estávamos olhando e saiu de sua janela-que cara mais estranho-disse olhando para Justin
-Ele até parece um psicopata-rimos 

Logo o horário tocou de novo e retornamos para a sala e nos sentamos nos mesmos lugares de antes e depois de quinze minutos eu e Justin começamos a voltar para outro mundo ele ficou fazendo tranças no meu cabelo e eu rabiscando no meu caderno e mexendo no celular, hora de ir embora finalmente.

-Hey quer uma carona?-Justin disse
-Claro porque não-estávamos indo para o estacionamento até o Sr. Scott trombar em Justin-Ei cara que falta de educação-ele me olhou e eu puxei Justin pela sua mão e trombei no Sr. Scott-qual é o seu carro?-perguntei já que estava o puxando precisava saber aonde tinha que ir
-Vem cá que eu te mostro-agora foi a vez dele me puxar me levando na frente de uma Ferrari branca super linda
-Cara sempre quis ter uma dessas-disse de boca aberta
Justin abriu a porta de seu carro para mim e depois deu a volta no carro entrando no mesmo, dei o endereço a ele e logo chegamos em minha casa
-Obrigada e até amanha-disse sorrindo e dando um abraço e um beijo no rosto de Justin
-De nada e eu não acredito-disse olhando em um olhar fixo e logo eu olhei era o Sr. Scott ele morava na casa em frente a minha
-Só podem estar de brincadeira comigo essa cara me persegue só pode
-Bom vou indo qualquer coisa me liga
-Tudo bem beijos
Sai de seu carro e entrei em minha casa.

Recovery-Sinopse


A única garota virgem de dezessete anos que poderia existir era ela, ela acabara de começar a fazer seu segundo ano de faculdade sim faculdade, aos seu oito anos de idade já percebera que era bem dotada fazendo com que ficasse em classe avançada terminando seu colegial aos quinze anos, ele aos seu vinte anos e com um filho de três anos fazia seu segundo ano de faculdade após sua amada ter morrido no parto de seu filho logo ele se mudou para Seattle para recomeçar sua vida na empresa de seu pai. Há uma coisa que eles tem de igual não por seu curso na faculdade ser de direito e sim por seus corações quebrados fazerem um só.

Será que tem alguém aqui?Quanto tempo ein!- xoxo Paula


Olá, me sinto até envergonhada por estar aqui falando, o blog bom ele já era pra estar desativado mas tenho muito amor por ele e tudo mais, aconteceram muitas coisas, muitas mesmo e eu to aqui pra ver ser vocês querem que eu continue com fanfics aqui no blog bom eu acho que melhorei meu jeito de escrever eu acho agora pode estar uma bosta do mesmo jeito mas eu acho que sim eu mudei e pa, mas enfim tamabém tem uma fic no anime que todo mundo agora só é anime e pa, bom se vocês quiserem o link da minha fic no anime é só clicar aqui, bom eu estou nesse exato momento fazendo uma sinopse e eu já tenho a fic mais ou menos pronta em minha mente se vocês quiserem que continue postando aqui no blog me falem gente por favor, quem sabe eu até possa abrir uma vaga aqui no blog para que alguém poste a fic aqui, juro que não faço fanfic com a demi mais uwhuehew tudo bem eu posso fazer só se pedirem mas demi chega faço muito com a demi a thais até reclama "af paula, só demi demi demi, faz com uma diferente", eu já até sei com quem eu vou fazer a fanfic, bom é isso, se quiserem que eu continue postando aqui comentem, mas se quiserem que eu poste no anime e poste avisando que eu postei no anime só comentar também, e uma novidade wuehwue vou fazer uma fic com a thais, é isso beijos da tia mais lecaul do mundo tia paula wuehwuehwh
Será que tem alguém aqui ?
 
Layout feito por Adália Sá | Não retire os créditos